Novo Concurso da Funai 2021 – Vagas, Cargos e Inscrições

Funai divulga novos editais de concurso público 2021. Seleções oferecem 776 vagas e as inscrições podem ser feitas até o dia 9 de novembro de 2021.

A partir da próxima quarta-feira, 3 de novembro, estarão abertas as inscrições para o processo seletivo simplificado da Fundação Nacional do Índio (Funai). As vagas, que englobam diversos níveis de escolaridade, são de caráter temporário. Ou seja, os aprovados trabalharão por um período de tempo determinado para o órgão. As inscrições devem ser feitas somente de maneira presencial, em alguns pontos da Funai, nas cidades de Boa Vista e Alto Alegre, situadas em Roraima, e nas cidades de Manaus e São Gabriel da Cachoeira, que ficam no estado do Amazonas, até o dia 9 de novembro. Informações complementares acerca dos endereços desses locais podem ser acessadas no edital do processo.

No total, são 776 vagas distribuídas para cargos na área de Proteção Etnosocial: Agente de Proteção Etnoambiental, Chefe dos Agentes de Proteção Etnoambiental e Supervisor dos Agentes de Proteção Etnoambiental. Os aprovados deverão ser lotados nos estados do Acre, Amazonas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Roraima.

A remuneração salarial varia entre R$ 1.100,00 a R$ 4.400,00, a qual poderá ser acrescida de alguns auxílios como alimentação, transporte e escolar. O regime de trabalho é de 40 horas semanais e há limite de idade para máxima para poder entrar em exercício: 59 anos. Essa necessidade é devido ao fato de o exercício do cargo exigir bastante esforço muscular e respiratório.

A seleção contará com avaliação curricular, de caráter eliminatório e classificatório, análise de habilidades e conhecimentos do cargo pretendido e entrevista, previstas para serem realizadas no dia 25 de novembro de 2021. Vale destacar que a avaliação curricular e entrevistas são etapas própria para o cargo de Supervisor, enquanto a fase de análise de habilidades é destinada para avaliar os candidatos aos cargos de Agente e Chefe.

Leia também:  Concurso Público SEFAZ-SC 2018 - Banca Organizadora

Os aprovados, antes de assumirem o cargo, deverão participar de um curso de ambientação, com carga horária de 40 horas, que será realizado entre os meses de novembro e dezembro.

Mais informações estão disponíveis no site do órgão.

Sobre as vagas

As 776 vagas disponíveis serão espalhadas da seguinte maneira: um quantitativo especifico para cada estado.

  • Acre: 91 vagas
  • Amazonas: 236 vagas
  • Goiás: 13 vagas
  • Maranhão: 102 vagas
  • Mato Grosso: 52 vagas
  • Pará: 52 vagas
  • Rondônia: 78 vagas
  • Roraima: 152 vagas

Sobre os cargos

Agente de Proteção Etnoambiental: 605 vagas distribuídas entre os estados do Acre, Amazonas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Roraima. Não é exigido nenhum nível mínimo de escolaridade. É necessário ter entre 18 e 59 anos até o ato da inscrição, ser, preferencialmente, indígena e possuir habilidades de trabalho agrícola e florestal. A remuneração é de R$1.100,00.

Chefe dos Agentes de Proteção Etnoambiental: 121 vagas distribuídas entre os estados do Acre, Amazonas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Roraima. É necessário ter, no mínimo, ensino médio completo; ter entre 18 e 59 anos até o ato da inscrição; ser, preferencialmente, indígena; e possuir habilidades de trabalho agrícola e florestal. A remuneração é de R$1.650,00.

Supervisor dos Agentes de Proteção Etnoambiental: 50 vagas, distribuídas entre os estados do Acre, Amazonas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Roraima. É preciso possuir nível superior completo em qualquer curso e instituição de ensino do país, desde que reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Além disso, um dos pré-requisitos é possuir experiência com indigenismo, na Amazônia Legal e ter espírito de coordenação. Também é necessário ter, no ato da inscrição, entre 18 e 59 anos. A remuneração é de R$4.400,00.

Leia também:  Novo Concurso Público do SEDF 2016 - 2,9 Mil Vagas

A Funai

A Fundação Nacional do Índio (Funai) foi criada no ano de 1967, durante o governo do então presidente Costa e Silva, com o objetivo de proteger e promover os direitos dos povos indígenas, tendo como missão executar as políticas indigenistas oriundas do governo do Brasil. Além disso, uma das funções do órgão é demarcar as terras indígenas do país, regulá-las e registrá-las.

Andréa

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *